Tal pai… tal filho?

Se você já acha chato aqueles dois vizinhos barulhentos brigando todo Palmeiras x Corinthians, imagine como era na casa da família Da Guia.

Domingos da Guia (dir.) pai de Ademir da Guia (esq.)

Domingos da Guia (dir.) pai de Ademir da Guia (esq.)

Pode ser estranho, mas essa memória sobre a rivalidade começou no Rio de Janeiro em 1912, ano em que nasceu uma lenda na história do futebol mundial. Apelidado de Divino Mestre no Uruguai, foi um dos melhores zagueiros do Brasil. Revelado no Bangu, quando chegou no Timão em 1944, Domingos já beirava os 32 anos. Mas nem por isso deixou de apresentar um grande futebol, a ponto de ser apontado por muitos como o maior zagueiro alvinegro de todos os tempos. O inventor da “domingada”, um tipo de drible que ele dava pra cima dos atacantes, apesar de não ter ganhado nenhum título pelo Corinthians,  jamais ficou abaixo do terceiro lugar nos campeonatos que disputou. Foram 116 jogos entre 1944 e 1948.

Nessa época Domingos via seu filho desabrochar para o futebol. Naquele momento mal sabia o Divino Mestre que aquele rebento seria o maior ídolo da história do seu clube rival, ainda conhecido como Palestra Itália.

Sai o Divino Mestre, entra o Divino…

Em 1960 Ademir da Guia Nascimento, filho de Domingos, iniciava sua carreira profissional no futebol, na mesma equipe que seu pai, o Bangu, mas no ano seguinte se mudou para a capital paulista para jogar no Palmeiras, onde se apaixonou de verdade pelo futebol e ficou até encerrar sua carreira em 1977, Ademir ainda herdou o apelido do pai “Divino” que ganhou ao mostrar toda sua habilidade com a bola nos pés.

O Divino também é considerado o craque mais injustiçado do Brasil, com sua técnica apurada e seu estilo tranqüilo, elegante e eficiente, deslumbrou milhões de pessoas e conquistou uma série de títulos importantes. Mesmo assim, teve pouquíssimas chances de atuar pela seleção brasileira.

Da Guia é considerado o maior ídolo da história do Palmeiras. Há uma estátua dele na sede do clube. Conquistou o cinco dos oito títulos brasileiros do Verdão (67/67/69/72/73) e cinco títulos paulistas (63/66/72/74/76), sempre como o comandante do meio-campo da equipe.

Trailer do Filme: Ademir da Guia, o Divino

Postado por: Ruan Segretti

This entry was posted in Corinthians, Histórico, Palmeiras, Personagens. Bookmark the permalink.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s