Palmeiras x Corinthians: as torcidas na semifinal do Paulistão

Se dizem que o Pacaembu é a casa do Corinthians, no dia primeiro de maio de 2011, o Estádio Municipal Paulo Machado de Carvalho estava realmente preparado para uma festa alviverde. Por causa de uma decisão da Federação Paulista de Futebol, o mais tradicional clássico paulistano – valendo uma vaga na final do Paulista – seria disputado no Pacaembu, com o Palmeiras tendo direito a 95% dos ingressos e o Timão ao restante.

Na Avenida Pacaembu carros com bandeiras do Palmeiras e um mar de torcedores vestidos de verde e branco eram vistos à caminho do estádio. Do outro lado, os alvinegros chegavam, barulhentos, pela Avenida Dr. Arnaldo.

Apesar de estar em menor número a torcida corintiana fazia muito barulho dentro do Pacaembu. Durante quase toda a partida os mais conhecidos gritos da torcida foram ouvidos.

Dentro das quatro linhas o derby era quente e pegado. Ainda no primeiro tempo, o Palmeiras teve o zagueiro Danilo e o técnico Felipão expulsos, o que fez com que a torcida alviverde protestasse a cada vez que o árbitro Paulo César Oliveira marcava uma falta.

Comandados pelos cantos da torcida Mancha Verde, os mais de 30 mil palmeirenses, mesmo na adversidade, empurravam a equipe para cima do Corinthians. O Palmeiras surpreendia e jogava melhor. Nas faltas de Marcos Assunção o time de Palestra Itália tinha sua melhor arma.

Não deu outra. No segundo tempo, o volante cobrou escanteio com perfeição e o zagueiro Leandro Amaro testou firme para o fundo do gol. O Pacaembu explodia em uma festa verde! Os torcedores se abraçaram, comemoraram e cantaram como se o Verdão estivesse conquistando o título naquela hora.

Entretanto aquela tarde não era para ser de vitória do time Palestrino, pois após falha do goleiro Deola, o corintiano William empatou o jogo. Dessa vez foi a minoria alvinegra que explodiu em uma festa de mesma intensidade.

Na tarde de primeiro de maio, o guerreiro Palmeiras e o eficiente Corinthians decidiriam nos pênaltis a vaga na final do Paulistão contra o Santos – que havia batido o São Paulo na outra semifinal.

Cinco cobranças para cada lado, todas as bolas pra dentro do gol. Coube ao jovem João Vitor a sexta cobrança alviverde. Tiro fraco a meia altura e uma grande defesa do arqueiro alvinegro Julio César. A bola para a final está nos pés do peruano Ramirez, pancada forte, sem chances para Deola.

Os jogadores do Timão correram para a área reservada aos torcedores visitantes. Foi mais uma vez o momento da torcida corintiana vibrar. Os corintianos tripudiaram em cima do rival, gritaram “eliminado” e cantaram, com ênfase, as musicas do time! Também pôde ser vista uma bonita homenagem, com bandeiras e canto, ao piloto Ayrton Senna – falecido em primeiro de maio de 1994.

Do lado alviverde restou a tristeza, mas ficou a bela imagem dos torcedores aplaudindo o time que foi guerreiro até o final.

Postado por: Renan LaMarck

This entry was posted in Uncategorized. Bookmark the permalink.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s